Aventura

Cemitério de Arlington

O nosso primeiro passeio por lá foi no Cemitério Nacional de Arlington, que fica em Arlington, Virgínia. Na verdade, Arlington é separada de Washington apenas por uma ponte, sobre o rio Potomac. A distância entre o cemitério e o Nacional Mall, por exemplo, é de uns 5 minutos de carro. Em seus 624 acres, estão enterradas mais de 300 mil pessoas, veteranos de cada uma das guerras travadas pelo país, desde a revolução americana até a atual Guerra do Iraque. Alguns dos personagens históricos também estão enterrados lá, como o presidente Keneddy e família.

 

keneddy

 

 

 

 

 

 

 

Mas o local mais popular entre os visitantes de Arlington é o Túmulo ao Soldado Desconhecido. Restos mortais de três soldados não identificados da Primeira Guerra Mundial, Guerra da Coreia e Segunda Guerra Mundial estão lá e são “vigiados” por uma Guarda de Honra do exército.  O “ritual” da troca de soldados a cada hora é muito interessante.
IMG_0526

 

 

 

 

 

 

 

 

Outro ponto de parada no cemitério é o memorial para as 184 vítimas do avião terrorista que caiu no Pentágono, em 11 de setembro de 2001.

11 set

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Pentágono

O Pentágono é o Departamento de Defesa dos Estados Unidos e também está localizado em Arlington. Lá também existe um memorial para as 184 vítimas do atentado de 11 de setembro. A homenagem está exatamente onde o avião caiu. É o único lugar do Pentágono que o visitante pode usar máquina fotográfica.

penta

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blog 2

 

 

 

 

 

 

 

Esses bancos da foto simbolizam as vítimas e são dispostos em ordem cronológica. A vítima mais nova nasceu em 1998 (3 anos, na época). E o mais velho, em 1930 (71 anos, na ocasião). O local traz uma sensação de vazio, assim como aquela que o mundo todo sentiu em 2001.

 

blog 3

 

 

 

 

 

 

 

blog

 

 

 

 

 

 

 

 

No próximo post, vou contar do Museu de História Natural e do Ar e Espaço.

 

Aventura

Conhecemos mais uma lugar fascinante nas férias de janeiro desse ano. Vou contar um pouquinho da nossa experiência.

Para a maioria das pessoas, Washington, D.C. é apenas lugar com uma casa branca ocupando muito espaço nos noticiários. Há quase um século, essa cidade no noroeste dos Estados Unidos, no chamado Distrito de Columbia, é o centro do poder político ocidental e de lá saem decisões que repercutem na vida de bilhões de pessoas. Mas não é só de política que vive a capital americana. Washington é um destino que celebra a arte. À beira do rio Potomac, é dona do maior complexo de museus do mundo, o Smithsonian Institute. Com mais de 142 milhões de artefatos, o instituto serve como centro de pesquisa e tem 9 (são 19, no total) de seus museus e galerias localizados no parque mais famoso da cidade, o National Mall.

Além disso, teatros badalados, clubes dedicados ao jazz, restaurantes, cafés e bistrôs charmosos tornam Washington um lugar interessante até mesmo para quem não suporta o exacerbado patriotismo americano. Eu suporto, rs. Acho bonito os americanos agradecerem à tudo que o país oferece a população.

A cidade é conhecida como D.C. ou Washington, mesmo. É bom lembrar que no país ainda existe um estado chamado Washington, que fica do outro lado do mapa americano. A cidade fica no Distrito de Colúmbia, o Distrito Federal americano, como especificado pela Constituição estadunidense. Lá, estão as sedes dos três braços do governo americano: o Executivo, o Legislativo e o Judiciário. Além das sedes do Fundo Monetário Internacional, do Banco Mundial, da Organização dos Estados Americanos, entre diversas outras instituições nacionais e internacionais.

Chegamos lá duas semana antes da nevasca que cobriu a cidade. A temperatura estava, em média, 8 graus celsius. Isso foi bom, porque o gostoso por lá é conhecer tudo à pé, já que a maioria dos lugares para visitar fica no National Mall.

A cidade é linda! Limpa, organizada, como toda cidade americana. Mas Washington se supera. Dá a impressão que alguém “lava” as paredes das casas, monumentos, etc… todo dia. A cada lugar visitado, vem na cabeça a lembrança de um filme rodado ali ou de uma importante data celebrada que a gente assistiu pela tv. No meu caso, que fiz no estúdio do SBT a posse do presidente Obama, a emoção aflorou ainda mais.

As crianças queriam muito conhecer a Casa Branca. E chegamos lá bem no dia em que o presidente Obama voltava de férias do Havai. Um helicóptero sobrevoôu a Casa e ele e família desceram. Não o vimos chegar, mas vimos os atiradores de elite no teto da residência. Aliás, eles ficam lá o tempo todo…

casa

 

 

 

 

 

 

 

O sistema de transporte público de Washington é muito eficiente. Como fomos de carro, saindo de NYC, não usamos o metrô. Dirigir por lá também é muito fácil.

 

Washington Monument

Ponto obrigatório de visita. Um dos cartões postais da cidade.

obel

 

Lincoln Memorial

O tributo ao 16º presidente norte-americano.

li

 

Capitólio

Abriga o Congresso e a Suprema Corte.

capi

 

National Gallery of Art

O museu guarda uma das mais importantes coleções de arte ocidental do mundo.

gal

 

Vietnam Veterans Memorial

A imensa parede de granito preto tem grafada em letras brancas os nomes dos 58.209 mortos na Guerra do Vietnã.

IMG_0630

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Memorial dos veteranos da guerra da Coreia

O Memorial dos Veteranos de Guerra da Coreia é uma poderosa e comovente homenagem aos milhares de soldados americanos que morreram naquela guerra. Durante o conflito, que durou de 1950 a 1953, as tropas dos Estados Unidos e aliadas ajudaram as forças sul-coreanas a resistirem à invasão pela Coreia do Norte.

coreia

 

No próximo post, vou contar sobre o Museu de História Natural e o de Ar e Espaço. Nesse último, está a cápsula que trouxe Armstrong e os companheiros de volta da lua.

E, também, sobre o cemitério de Arlington, onde está o túmulo do presidente Kenedy. E, claro, o Memorial do Pentágono, onde um avião sequestrado por terroristas também caiu em 11 de setembro de 2001.

 

Aventura

Sempre me  perguntam o que fazer para entreter crianças em Miami. A maioria das pessoas acha que por lá só tem praia e badalação para moçada. Eu também achava, até conhecer bem a cidade. Miami oferece uma programação infantil muito legal para os pequenos turistas. Vou contar para vocês como dá pra se divertir muito com eles por lá. E, depois, pegar o carro e chegar na Disney!

Zoo Miami ( ou Metrozoo)

Já fomos a esse zoológico umas 5 vezes. E sempre dá vontade de voltar. Ele é o mais antigo dos EUA e abriga mais de 2000 espécies, entre elas, animais exóticos: gorilas, tigres brancos e ursos enormes. As crianças enlouquecem quando alimentam as girafas! E  quando andam de camelo, também! Muito legal!

girafa
www.zoomiami.org

 

Miami Children’s Museum

Se quiser fugir do calor, é uma boa opção para crianças. Aqui, os pequenos podem brincar de verdade em bancos, supermercados e até um cruzeiro. Só que tudo no tamanho miniatura! A criançada enlouquece!

museu

 

 

 

 

 

 

 

 

Miami-Children’s-Museum-2

www.miamichildrensmuseum.org

 

Miami Seaquarium

Venha se divertir com os golfinhos e mergulhar com eles!

DSC04359

www.miamiseaquarium.com

 

Everglades Alligator Farm

Venha conhecer o pântano! O passeio de airboat é divertido e você pode ver os crocodilos da Flórida bem de perto.

eaf_10
www.everglades.com

 

Rapids Water Park

Um parque aquático delicioso para dias de muito calor, destaque para a piscina de ondas que os visitantes podem aprender a surfar.

www.rapidswaterpark.com

Rapid-Water-Park-aerial

 

Miami Museum of Science

Um museu muito interessante, que conta com um planetário. As crianças podem apreciar algumas espécies marinhas de pertinho e passar a mão nas estrelas do mar. Dentre outras coisas bem legais, tem um simulador de furacão, que as crianças amam!

simulador estrela

Apr12-16 IMG_1710
www.miamisci.org

 

 

 

Lincoln Road

Passear pelos bares e restaurantes da rua mais famosa da cidade também é legal para os pequenos. Se quiser fugir do agito noturno, vá almoçar ou passear no meio da tarde.

lincon

 

 

 

 

 

 

 

 

Passear de barco pelas praias

É muito romântico assistir ao pôr do sol em um barco por lá! Mas, para as crianças, é muito divertido também!

barco

 

 

 

 

 

 

 

 

Miami Heat

O jogo do time de basquete é um espetáculo! Quando fui a primeira vez, tive receio de que as crianças não fossem gostar. Pelo contrário! Pediram para voltar!

heat

 

 

 

 

 

 

 

 

Rainforest Café

Temos até o cartão de membro desse restaurante! As crianças amam de paixão! Esse ano, lançaram até um cardápio para os brasileiros! Rs

rain

 

 

 

 

 

 

http://www.rainforestcafe.com/locations.asp?st=fl

Hard Rock Café

Todos os restaurantes dessa rede atraem as crianças. O de Miami tem a jaqueta vermelha que o Michael Jackson usou no clipe Thriller!

jaqueta

 

 

 

 

 

 

 

 

Praia

Sim, as praias de Miami são as praias do Caribe! Lindas, limpas e super  organizadas!

praia

 

Aventura

Bom dia, meninas!

Um amigo me perguntou quais as facilidades e dificuldades para entrar na Inglaterra. Segue, então, algumas infos para ajudá-lo e ajudar a quem precisar, também.

Turistas brasileiros não precisam de visto, mas devem se precaver, reunindo alguns documentos a fim de passar mais tranquilamente pela imigração.

Para entrar no Reino Unido, mesmo vindo de um país europeu, você terá de passar pela imigração. Neste post, reunimos informações relativas ao visto de visitante e a documentos necessários para tornar mais tranquilo este processo, motivo de muita preocupação para algumas pessoas.

As informações são válidas para quem possui um passaporte brasileiro e se referem à categoria de Visitante Geral (“General Visitor”). O visto para visitante geral é concedido pela autoridade da imigração na sua chegada ao Reino Unido.

Para ser considerado como visitante geral, é preciso provar que você:

  • tem mais de 18 anos;
  • pretende permanecer no Reino Unido por, no máximo, 6 meses, sem trabalhar ou estudar;
  • tem intenção de deixar o Reino Unido após sua visita;
  • tem recursos suficientes para se hospedar e se manter, sem ter que recorrer ao trabalho ou aos cofres públicos; ou que será sustentado por familiares ou amigos.
  • tem recursos para cobrir os custos de sua viagem de volta ou de continuação
  • passaporte válido por no mínimo 6 meses (embora não seja uma exigência oficial, parece ser a prática aceitável)
  • Caso seja estudante, você poderá levar uma declaração da escola ou faculdade em papel timbrado, comprovando que você está devidamente matriculado e que está de férias. Os outros documentos serão do seu responsável e responsável pelas custas da viagem.
  • Caso seja empresário, você poderá levar o contrato social ou registro da empresa, confirmando que você é sócio e a data de início do negócio.
  • Condição financeira: Leve extrato bancário e a última declaração do seu imposto de renda ou do seu responsável ( se você for menor de idade). Os agentes da imigração podem, também, perguntar quanto você tem em dinheiro (em espécie e/ou travellers cheques), quantos cartões de crédito, pré-pagos, etc. Eles poderão pedir para ver o dinheiro (e até contar!) e os cartões/travellers cheques, por isso, não é uma boa ideia mentir. Aliás, mentir é a pior ideia em qualquer circunstância, pois eles são muito bem treinados para detectar mentiras.
  • Uma dica preciosa é você mostrar a confirmação de reserva de hotel (a cópia enviada por e-mail é suficiente), ou carta do morador do local onde você se hospederá, afirmando que você poderá se hospedar lá. E a confirmação da passagem aérea de volta ou de continuação para fora do Reino Unido (e-mail ou cópia da passagem)
  • Se possuir qualquer ingresso para atrações, museus, teatros, comprovante de reservas de tours ou excursões que você tenha feito diretamente ou através de uma agência, vai ajudar bastante.

Você receberá no avião/navio/trem um formulário de desembarque, Landing card, que deve ser preenchido antes de você passar pela imigração. Caso não tenha recebido o formulário, há cópias disponíveis na área da imigração. Neste formulário é pedido: nome, sobrenome, data e local de nascimento, sexo, nacionalidade, ocupação atual, dados do passaporte e de sua viagem (tempo de permanência no RU, último porto/aeroporto, número do vôo/trem/navio). É também pedido um endereço de contato completo no Reino Unido, que deve ser preenchido com os dados do hotel / acomodação em que for se hospedar durante a maior parte da sua  viagem. Não se esqueça de assinar o formulário.

Documentos necessários para imigração no Reino Unido - landing card

Com o Landing Card preenchido, seu passaporte e uma pastinha muito organizada com todos os documentos acima, você se dirige à fila da imigração para cidadãos que não têm passaporte britânico ou de países membros da União Europeia e aguarda ser chamado pelo agente.

Na sua vez, entregue o passaporte e o landing card, aguarde que o agente escaneie e verifique as informações e esteja pronto para responder às perguntas que ele fizer. Estas perguntas são diretas e se referem ao propósito da sua viagem e aos recursos de que dispõe para a viagem (quanto dinheiro, cartões de crédito, etc.).

O agente poderá fazer, também, uma ou outra pergunta que comprove o que você declarou. Eles normalmente são pacientes e educados e procuram se fazer entender da melhor forma possível. Se você não conseguir entender ou responder às perguntas em inglês, há intérpretes para, em último caso, auxiliar no processo.

Para estudantes

Se você vai estudar por até 6 meses,  não precisa de visto. Agora, se seu curso for ultrapassar este tempo, é preciso dar entrada no visto de estudante. Para cada coisa que você precise fazer na Inglaterra, há um visto diferente. Ao todo, são 5 tipos de visto. Dentre estes, há o tier 4, este é o nome do visto de estudante por lá.

Dentro do Tier 4 há ainda 3 tipos de vistos: Tier 4 (crianças) é essencial para você que tem entre 4 e 17 anos; Tier 4 (geral) é para quem tem mais de 16 anos e vai à Inglaterra rumo a educação superior ou continuada e Prospective Student Visa, um tipo de visto que cabe direitinho se a sua intenção for estudar na Inglaterra com o visto Tier 4, mas ainda não preencheu todos os requisitos para a admissão no curso. Quem tem visto Tier 4 pode trabalhar de 10 a 20 horas por semana, durante o período letivo e em tempo integral no período de férias.Você pode tirar seu visto de estudante para a Inglaterra até 3 meses antes do início do curso. Mas, o ideal é que tire o quanto antes, para evitar correria próximo a sua viagem. Além disso, é preciso estar com a carteira de vacinação atualizada, ter documentos que comprovem a sua situação financeira e qualificações, passar por uma entrevista e por um teste biométrico e fazer um teste de proficiência em inglês.O site do consulado britânico em São Paulo vai ajudar bastante se você ainda tem mais dúvidas e para saber QUAIS FORMULÁRIOS precisa preencher para seu visto de estudante ou trabalho na Inglaterra.
https://www.gov.uk/government/world/organisations/british-consulate-general-sao-paulo.pt
Para saber como trabalhar na Inglaterra, além do site do consulado, esse abaixo é bem legal e tem informações ótimas:
http://www.educationuk.org/brasil/articles/work-visas/
mae
Minha mãezinha, que hoje mora no céu, se divertindo em viagem que fizemos pela Inglaterra ( ela está na frente do Palácio de Buckingham)
canal
Eu, no navio onde atravessamos o Canal da Mancha
Aventura

Dirigir nos Estados Unidos é muito mais fácil do que dirigir no Brasil, mesmo que você só tenha noções básicas do inglês. Basta respeitar algumas regras, que aqui são ignoradas.

SINAIS de STOP: eles estão por toda parte e são super respeitados, se você vir um sinal de STOP  significa que, mesmo que não tenham carros ao seu redor, você  TEM que PARAR. Se tiver um carro na sua frente, ele vai parar. Quando ele sair, você não sai atrás dele SEM PARAR. Você avança um pouco até a faixa, para e presta atenção por pedestres ou outros carros.

Perto de escolas, o negocio é bem sério. Existem placas com luzes que piscam se for hora de entrada ou saída da aula. Você tem que dirigir na velocidade que está na placa, sempre 15 ou 20 milhas. É super devagar, mais todos respeitam e sempre há policias dando multas. Quando um ônibus escolar (o famoso ônibus amarelo) parar para pegar ou deixar crianças em casa, o motorista abre uma placa de STOP e todos os carros TÊM que parar. Não importa onde o ônibus pare e ligue o sinal de STOP, rua grande ou pequena, se você estiver atras do ônibus, você TEM que parar.

school bus

Em todos os faróis, é permitido virar à direita no sinal vermelho, se não está vindo carro para cruzar na sua frente. Exceto àqueles cruzamentos que têm uma placa dizendo ” proibido virar ON RED” ( no vermelho). Mas lembre-se: se tiver pedestres, você TEM que parar pra eles.

no turn on red

Lá, existem faixas específicas para virar à direita ou à esquerda, uma vez nelas, não se pode trocar de faixa. Também não se pode trocar de faixa no meio de um cruzamento. Se a placa diz que você não pode virar aqui, então você NÃO PODE VIRAR .

Existem cruzamentos sem farol, mas com 4 sinais de STOP. Como funciona? O primeiro carro que chegar no cruzamento tem a primeira mão , sai quem parou primeiro e, depois, o segundo…e assim por diante. É impressionante, mas acredite: funciona!
Nas estradas, você deve seguir os sinais de SPEED LIMIT ( limite de velocidade). Em algumas partes de Miami, o limite é de 55 milhas por hora, mas se você estiver indo pra Orlando, vai aumentar para 60, 65 ou 70. E atenção: você não deve dirigir devagar nas estradas e nelas verá, também, placas de velocidade mínima (MINIMUM SPEED), geralmente 40 milhas. Dirija no SPEED LIMIT e você estará bem.
speed limit
INDO PARA ORLANDO
Existem 2 tipos de estradas nos EUA , a interstate 95 , mais conhecida como  I-95, estrada de graça, sem pedágio. E a Turnpike, que é a estrada paga.
Uma parte nova foi aberta na I-95 em Miami, que agora é paga, mas vamos simplificar e dizer que a melhor maneira SEM SOMBRA DE DÚVIDA de ir para Orlando é pela Turnpike ( o GPS geralmente mostra como “Ronald Reagan Turnpike”, que é o nome da rodovia).
Ir pela I-95 não é uma boa idéia. A viagem demora mais de 5 horas. Pela Turnpike, em 3 horas dá pra chegar.
TURNA estrada é muito bem conservada e você vai passar por alguns pedágios. A Turnpike possui somente 02 sentidos: N (North) e S (South), sendo que de Miami para Orlando, pegue sentido “N” e de Orlando para Miami pegue sentido “S”.

Da área metropolitana de Miami até Fort Lauderdale, são três pedágios pelo caminho, cada um custa US$ 1,00. Existem 03 (três) tipos de “box” para pagamento do pedágio:

  • O primeiro, somente aceita pagamento em moedas (quarters), basta jogá-las na cesta e seguir em frente, é necessário que se tenha o valor exato. Este tipo de “box” pode ser encontrado em algunas saídas da Turnpike;
  • O segundo, é o Sun Pass, que você não deve entrar de jeito nenhum a não ser que você tenha um veículo com tarifador automático de pedágio; ( é igual ao SEM PARAR do Brasil)
  • O terceiro, possui um caixa, onde você será atendido por um funcionário que irá lhe dar o troco, caso você não tenha moedas.

Após passar pelos pedágios mencionados, você terá somente duas opções: – O Sun Pass (não entre nessa fila, a não ser que você tenha alugado um carro com o Sun Pass) e o TKT (entre nessa fila), onde você irá retirar um cartão com um funcionário, que deverá se pago apenas quando você sair da estrada. Assim que você sair da Turnpike, já em Orlando, verá um “box” com as inscrições TKT, é nele que você irá pagar, proporcionalmente, pela quilometragem que você rodou na estrada (custa em torno de US$ 13,80).

 A Turnpike é uma reta só e, a cada 45 milhas, você irá encontrar “plazas” (lanchonetes, restaurantes, lojinhas, postos de combustível, etc). Essas paradas sempre ficam localizadas no meio da estrada, e dão acesso para os dois sentidos da Turnpike.

PLAZA

Se precisar abastecer o carro, não se preocupe. É bem fácil. Entre na loja de conveniência, avise em qual bomba de combustível parou, pague a quantia de combustível que você precisa e, ao voltar, a bomba estará desbloqueada para uso. É so abastecer, como fazem os frentistas no Brasil. NOS EUA, NÃO EXISTE A FUNÇÃO FRENTISTA.

FRENTISTA
Fábio, meu marido, craque na função! rs
Em Orlando, é muito comum ver, nas placas de trânsito, as sinalizações de caminhos para Disney. Isso nos deixa ainda mais encantados na terra da magia.
placa
disn
Viu como é fácil?
Aventura

Boa noite, meninas!
Será que tô deixando todo mundo com vontade de ir para Disney?! Eu já estou… de novo! Rs
Hoje, vou dar dicas de hotéis ONDE EU JÁ FIQUEI em Orlando, mostrar onde pesquisar preços e saber, com reviews de hóspedes, se no lugar já teve alguma ocorrência desagradável.
Existem vários sites de busca de hotéis:

www.expedia.com.br

http://www.decolar.com/

www.hoteis.com/

http://www.tripadvisor.com.br/

Entre outros. Eu , particularmente, pesquiso nesses.

Eu começo a pesquisa assim: entro no Decolar e coloco por ordem de preço. Assim, aparecem as promoções, que, muitas vezes, valem a pena. Aí faço uma busca no hotéis.com, booking, expedia e no próprio site do hotel que escolhi. Em cada lugar estará um preço diferente.rs. Isso é comum. Mas varia muito pouco, de 10 a 30 reais. Aí vem a parte mais importante: ENTRAR NO http://www.tripadvisor.com e ler os reviwes, ou seja, comentários e notas que as pessoas deram para o estabelecimento. Lá, você vai saber se já aconteceu roubo no hotel, se os quartos são sujos, se são apertados, ou se realmente vale a pena!
Antigamente, eu comprava as diária direto do site do hotel. Mesmo tendo que pagar de uma vez (compras internacionais não são parceladas), valia  pelo preço.
Mas agora, com o dólar subindo a cada dia, pesquise a melhor opção. Os sites brasileiros fazem o preço fechado, em real, e ainda dividem em até SEIS VEZES no cartão de crédito, SEM JUROS! Alguns, fazem em até 12 vezes!

OBS: Leia as cláusulas do site, sempre! Fiquei chateada com o hoteis.com, que me fez o preço de um hotel em REAL e, no meu cartão de crédito, VEIO COBRADO EM DÓLAR…

E atenção nessa dica: o http://www.decolar.com/ vende ingressos dos parques da Disney, com preços EM REAL e parcelados em até 6 VEZES SEM JUROS! Para mais informações para compra de ingressos, clique:

http://disneyworld.disney.go.com/pt-br/tickets-purchase/

Para informações sobre ingressos dos parques da Universal Studios de Orlando, clique:

https://www.universalorlando.com/Portuguese/Ingressos/Ingressos-Para-Os-Parques.aspx

Em Orlando, tem muito hotel bacana. Para todos os bolsos. Mas vale um dica: Se você vai ficar por 10 dias OU MENOS que isso na cidade, não se empolgue com piscinas, spas, academias e outros atrativos  nos hotéis. VOCÊ NÃO TERÁ TEMPO PARA ISSO, afinal, são 4 parque Disney para visitar, 2 parques da Universal e ainda o Sea World. (a Disney tem também parques aquáticos, que abrem na primavera e verão)

Locais que indico, porque já fiquei:

Fairfield Inn & Suites Orlando Lake Buena Vista: melhor custo benefício de todos. Fica ao lado do Downtown Disney. Fiquei nesse hotel 4 vezes!

marriot vineland

 

 

 

 

 

Wingate by Wyndham Universal Studios, Holiday Inn Hotel & Suites From Universal Orlando e DoubleTree by Hilton at the entrance to Universal Orlando: os 3 são na frente dos parques da Universal Studios e dá pra ir a pé

double tree universal
DoubleTree
holliday inn across universal
Holiday Inn

wingate

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hilton Grand Vacations Suites at SeaWorld: do lado do SeaWorld. Os quartos são ótimos, são um apartamento, com quarto e sala. Tem banheira gigante separada  do chuveiro, cozinha completa e máquina de lavar e secar roupa!

hilton-grand-vacations-suites-at-seaworld-orlando-exterior-6026-100

 

 

 

 

 

Disney’s Coronado Springs Resort, Disney’s Port Orleans Resort – Riverside, Walt Disney World Swan & Dolphin Resorts : Esses são mais caros, mas ficam dentro do complexo Disney. Vale pela magia,  bons restaurantes e pelos ônibus ou barcos*,  que te levam sem custos para os parques e para Downtown Disney . Fiquei por mais de uma vez no Coronado, também.

port orleans
Port Orleans
coronado
Coronado
dolphin
Dolphin & Swan

 

 

 

 

 

 

 

 

 

*consulte se o hotel dispõe do serviço de barco.

DICAS PARA NÃO SER ROUBADO

Tive um caso de uma pessoa MUITO PRÓXIMA, que ficou em um hotel chamado Celebration Suites at Old Town e teve AS MALAS FECHADAS roubadas! Sim, levaram as malas, com cadeado e tudo. Lendo alguns comentários sobre o hotel, vi que já aconteceram outros caso assim por lá.

Então, vamos lá:

-Opte por hotel que tenha uma cancela para entrar no estacionamento. Isso não significa que você terá que pagar a mais pelo estacionamento, mas lá só entrarão pessoas que têm as chaves de quartos.

-Pergunte se o seu hotel tem cofre, para que você possa deixar algum bem de maior valor.
Evite hotéis sem recepção e sem nenhuma forma de controle de acesso. Nos EUA muitos hotéis são abertos e tem somente uma recepção do lado de fora e sem nenhuma outra forma de controlar o acesso, deixando a passagem livre pra quem quiser entrar.

– Não deixe o seu passaporte no hotel, a menos que ele esteja trancado no cofre. Os mais cautelosos não confiam nem nos cofres e não cogitam deixar o passaporte no hotel em hipótese alguma. Esse é o seu único documento válido no exterior, então prefira sempre andar com ele muito bem guardado.

-Verifique a porta do quarto sempre que sair dele. Isso porque, às vezes, a porta fica emperrada e não fecha completamente. Quem estiver passando por ali pode ficar tentado a entrar no quarto. Lembre-se: a oportunidade faz o ladrão.

– Faça suas compras, entre no carro e vá direto para o hotel – Ir do shopping direto para o hotel é a melhor forma de evitar que te sigam e te abordem na sua próxima parada. Esse é um golpe muito comum dos ladrões em Orlando. Se não tiver jeito de ir pro hotel, tenha atenção redobrada para garantir que não está sendo seguido e coloque TODAS as compras no porta-malas. EU DEIXO PARA FAZER COMPRAS NO ÚLTIMO DIA. QUANTO MENOS COISAS NO QUARTO, MENOS CHANCE DE PERDER TUDO EM UM ROUBO.

-Tente estacionar o carro próximo dos guardas dos shoppings ou perto das portas das lojas – sei que nem sempre isso é possível, mas com certeza vale a pena o esforço extra para garantir que ninguém vai te abordar quando você estiver guardando as suas comprinhas. Se o ladrão puder escolher, ele vai roubar quem estiver com o carro mais longe do shopping, onde é mais difícil dele ser pego em flagrante.

Vale observar ainda as dicas do Consulado:

– Estacione seu veículo em local seguro.

– Jamais deixe pertences no veículo (como passaportes, sacolas de compras, produtos eletrônicos).

– Na praia, caso vá a alguma ali por perto, não deixe seus pertences desacompanhados.

– Não entregue seus pertences a estranhos (ex: ao experimentar roupas em lojas de vestuário, não permita que o vendedor guarde seus pertences).

– Fique ainda mais atento em locais movimentados e frequentados por turistas, como centros de compras, hotéis, parques temáticos e estacionamentos (pagos ou não).

– Tome os mesmos cuidados que você tomaria em qualquer outro grande centro urbano.

– Para sua segurança, mantenha cópias, em meio eletrônico ou com parentes no Brasil, de documentos importantes, como passaporte e carteira de identidade. As cópias poderão eventualmente dinamizar o processo de obtenção de documento de viagem em caso de furtos.

Em caso de furto:

– Contatar a polícia local a fim de registrar queixa (“file a report”).

– Contatar o Consulado-Geral em Miami a fim de comunicar o ocorrido, em especial em caso de perda de documentos.

– Tão logo regresse ao Brasil, comunique o fato também às autoridades policiais brasileiras e aos órgãos emissores dos documentos furtados.

Contatos:
Consulado-Geral do Brasil em Miami – Setor de Assistência a Brasileiros
Tel. ++ 1 305-285-6251 / 305-285-6208 / 305-801-6202 e 305-801-6201
E-mail: assistencia.miami@itamaraty.gov.br
Site: miami.itamaraty.gov.br