Movimento

Bom dia, meninas!!

Tudo bem com vocês?

Hoje, vou falar de um assunto que, pra muita gente, é polêmico. Até minha mãezinha, que hoje mora lá no céu, vira e mexe me dizia: ” Tata( apelido que eu tenho em casa), cuidado com essa ginástica! Você tá grávida!”
Pois bem…eu malhei, sim, nas minhas 2 gravidezes! E foi ótimo! Na verdade, eu malhei antes, durante e malho até hoje! kkkk.

O título grávida sarada nada mais diz respeito do que ao estilo de vida que levo há anos, do qual eu continuo colhendo os frutos!

37
Gravidez da Giulia, 9 meses, setembro de 2003

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMG_2335
Gravidez da Mabê, 8 meses e meio, março de 2008

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E é justamente isso que meu amado ginecologista e obstetra, Dr.Mauro Grynzpan, sempre me explicou. As pessoas precisam entender que a mulher não ficou sarada na gravidez, ela fez atividade durante a gestação para manter o tônus muscular que já tinha.

Outra dica do meu obstetra é tentar o parto normal. OS MEUS FORAM! ÊBA! E minha barriga voltou a ser como antes, retinha!

IMG_2338
Parto da Mabê, com meu gineco Mauro Grynzpan (o de touca)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMG_2342
Eu, minhas filhas pequenas e minha barriga negativa!! Uhuuu

Então, se você não tinha abdômen sequinho, músculos definidos e vida de atleta antes de engravidar, definitivamente, a gestação não é o momento para pensar nisso. Mas nem por isso deve abolir a ideia de trazer esta prática para sua vida, use os barrigões sarados como incentivo para deixar o sedentarismo de lado e ter uma vida mais saudável neste período.

A atividade física na gestação é de extrema importância e, com os cuidados certos e orientação médica (sempre!), só traz benefícios.
Os treinos das mulheres grávidas estão longe de ser uma adaptação de atividades normais com a carga reduzida, assim como também não é igual para todas as futuras mães. Eles têm que ser adaptadoes individualmente, além de controlados, sem impacto e que visa o aumento do tônus das musculaturas afetadas na gravidez e no parto, como assoalho pélvico, costas e abdômen.

Ao lado do fortalecimento muscular, os exercícios preparam fisicamente as mulheres para o parto, principalmente o normal, aumentando a elasticidade e ajudando a aguentar melhor as várias horas que o processo pode levar. Esta mesma disposição é muito bem-vinda para equilibrar melhor as mudanças na rotina após o nascimento do bebê e voltar à forma.

Manter o corpo ativo ajuda, ainda, a amenizar os desconfortos que a gravidez naturalmente traz, como dor nas costas e inchaço. Também é importantíssimo para lidar melhor com a onda de hormônios e ajuda a controlar o surgimento de doenças próprias da gestação, como a diabetes gestacional e a hipertensão. Além de melhorar a autoestima e a qualidade do sono!

Mas é o médico quem autoriza ou não quais, com qual intensidade e até quando a gestante pode malhar. Mulheres que sofrem com sangramento, ameaça de aborto, parto prematuro e placenta baixa estão entre as candidatas a terem as atividades suspensas até segunda ordem.

Um bom professor, como meu teacher Kleber, também é indicado para acompanhar a malhação da gestante.

“A principal recomendação para todas as grávidas é evitar atividades de impacto. Para as sedentárias, o ideal é priorizar àquelas que mexam mais com a musculatura e os ligamentos do que com o aeróbico.O treino ideal na gestação é aquele que tem como base o histórico físico e fitness de cada mulher e, paralelamente, o desenvolvimento gradual da gestação a cada mês”, finaliza meu professor, Kleber Tercero