Aventura

Como eu disse no post anterior, eu buscava um destino de montanha e neve para comemorarmos nossos 15 anos de casamento. Eu já conhecia a Espanha (o Fabio, não), mas na catalunha nós nunca tínhamos ido. Então, pensei em Barcelona. Mas onde esquiar perto de Barcelona? Basta dar um google que facilmente se descobre o destino tooooop do pessoal de lá nos fins de semana: Andorra. Eu já tinha ouvido falar desse pequeno principado, de apenas 76 mil habitantes. Mas resolvi pesquisar sobre a região.

Para chegar até Andorra, é preciso ir, de avião, até Toulouse ( França) ou Barcelona ( Espanha). Barcelona me atrai mais, então comprei as passagens pra lá, o que deixou o Fábio surpreso e muito feliz com o convite! As paradas de mais de 12 horas em Miami ( na ida) e Nova Iorque ( na volta) foram propositais. A Europa é linda, mas a gente ama mesmo os Estados Unidos e não poderíamos deixar de dar uma passadinha por lá numa data tão bacana pra gente.

Chegamos em Barcelona via Miami. Vôo de 8 horas, bem tranquilo. Pegamos o carro que alugamos ( uma dica é alugar carros pequenos na Europa! As ruas costumam ser estreitas e nunca tem vaga para parar…)

Nossa primeira parada foi o Camp Nou, estádio do time do Barcelona. Fizemos um tour por tudo e o Fábio amou! Confesso que até eu amei! Lembrei da minha época de repórter esportiva.

Quem diria que um dia sentaríamos no banco de reservas do Camp Nou…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Depois, seguimos para o bairro gótico. Tudo muito lindo e moderno, com restaurantes sensacionais. Mas paramos mesmo na igreja da Sagrada Família, para receber uma benção ( claro que não foi cerimônia, foi só entre a gente mesmo! rs) pelo nosso casamento, já que a gente não casou e não teve nada disso….

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Demos mais uma voltinha pela cidade e pegamos a estrada para Andorra. Tudo muito bem sinalizado. Usamos o Waze e o GPS do carro, mas talvez nem precisasse. Passando a fronteira da Espanha para Andorra ( depois de quase 3 horas de carro), veio a surpresa: o sinal de celular simplesmente SOME. kkkk! Eu ri para não chorar, porque todo lugar que tem wifi por lá tem o sinal péssimo…minha preocupação era a comunicação com as crianças.

Andorra tem apenas uma empresa de telefonia celular. E o chip de qualquer outro lugar do mundo ( o meu da Vivo vira T-Mobile ou AT&T, nos EUA…vira Movstar, na Espanha… e assim por diante… claro que, para usar, é cobrado o deslocamento internacional, mas pelo menos existe sinal) não funciona por lá. A loja da operadora não abre aos finais de semana ( chegamos na sexta- feira, às 7 da noite…) e não existe a opção de um chip pré -pago. É preciso fazer uma assinatura…tudo bem complicado.

Se as nossas filhas estivessem conosco, daríamos um ” que se dane” para a internet. Mas… não poderia ser assim na nossa situação, né…

Como estávamos 4 horas à frente do Brasil, devido ao fuso horário, usávamos a internet ( o wifi dos lugares) em horários alternativos, no meio da manhã ou da tarde. E aí funcionava bem, pois menos pessoas estavam ” penduradas” (rs) na rede. E deixamos o telefone do hotel com as meninas no Brasil. No fim, tudo deu certo.

A língua falada lá é o catalão, mas quase todo mundo fala espanhol e, nas estações de esqui e grandes lojas, falam inglês também. O principado é lindo. Cheio de restaurantes charmosos, paisagens maravilhosas. Além de ser ótimo para compras. Andorra é livre de impostos. Acredite: é muito mais barato comprar lá do que nos EUA.

Nosso primeiro dia  ( e nevando!!) foi para andar e conhecer toda região. Olha como lá é bem pequeno:

Andorra la Vella é a capital. Ficamos em La Massana e esquiamos em Ordino. Dá para andar o país todo em poucas horas. E por lá ainda existem muitas construções e igrejas da época medieval.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Igreja do século XVII 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nos dias seguintes, além de namorar bastante(rs) , esquiamos. Pesquisamos e lá  existem mais de 5 estações maravilhosas de esqui. Algumas atendem só os bem experientes, com apenas pistas vermelhas e pretas, ou seja, bem difíceis( esse grau VERMELHO de dificuldade não existe nas pistas americanas)

Mas achamos a Ordino-Arcallis, que agrada a todos os gostos. E é a parte mais alta da cidade.

Falando em altitude, atente-se que Andorra está bem acima do nível do mar. A viagem de Barcelona pra lá é só de subida…então, o ar é rarefeito. Não estranhe se sentir cansaço grande, tonturas, náuseas e até sangramento no nariz, como aconteceu comigo. A parte mais baixa da cidade está a 1900 m em relação ao nível do mar. No alto da montanha, certamente estávamos a quase 3000m.

As pistas de Ordino-Acallis são ótimas, inclusive para iniciantes! Recomendo!! Nos divertimos bastante! A cordilheira de montanhas chama-se Pirineus e passa pelo sudoeste da Europa. Além de Andorra, abrange França e Espanha.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como a França está ali do lado, tiramos um dia para dar uma passadinha por lá. A cidade de Foix, que fica 1 hora e meia de carro, tem um castelo medieval datado dos anos 900 DC. É uma cidadezinha beeemmm pequenininha. E por lá só se fala francês…mas achamos um restaurante brasileiro!!! Isso mesmo!! Um rapaz da Bahia que se casou com uma francesa!

Olha o castelo lá atrás!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Voltamos para Barcelona e ainda deu tempo de visitarmos algumas praias do Mar Mediterrâneo.

E a paradinha em Nova Iorque, na volta, foi mesmo para trazer presentes para as filhotas!

A dica do que ficou de tudo isso: divida momentos bons com quem faz questão de seguir sempre com você! A vida é muito mais colorida assim!
Aventura

Boa tarde, galera!

Se você é do tipo ( igual ao meu pai…rs) que acha que se colocar esquis nos pés vai quebrar a perna, a cabeça, morrer…digo pra você que…ESTÁ ENGANADO! E olha que eu sou a pessoa mais medrosa do planetaaaaa!!! kkkkk

Eu já conhecia de passagem algumas estações de esqui, em viagens com a família na adolescência. Mas, devido às neuras do meu pai, o máximo que eu podia era ficar olhando, de longe.

Até que, de 2011 para 2012, fomos passar o réveillon na Flórida. Eu logo tive que voltar para o Brasil, para trabalhar. A Mabê, nossa filha caçula, voltou comigo. O Fábio, meu marido, resolveu levar a nossa mais velha, a Giulia, para conhecer o Colorado e… aprender a esquiar. E ela deu um show! Olha ela, que tinha acabado de completar 8 anos, ajudando o Fábio a esquiar!

ju aspen
Aspen/janeiro de 2012

 

 

 

 

 

 

 

A dica principal para iniciantes ( e mesmo pra quem já sabe, viu…rs) é contratar algumas aulas antes de se aventurar sozinho. Com cautela, esquiar é um esporte muito legal. Mas para imprudentes, pode ser, sim, perigoso e até fatal. No caso da Giulia, o Fábio colocou uma professora particular para ela. Os professores particulares são mais caros na montanha, mas há situações que valem a pena, né!

No ano seguinte, levamos as crianças para conhecer a Disneyland, na Califórnia. Para quem não sabe, saindo de Los Angeles e andando, aproximadamente, uma hora de carro, tem estações de esqui! Encontramos uma em Big Bear Lake, uma cidadezinha fofa! A estrada para chegar lá é bem tranquila e, como essa montanha não é da ” modinha”, os preços são ótimos por lá! Tanto de hotéis, como para alugar equipamentos para esquiar. Dessa vez, a Giulia fez aula em grupo. Na foto, ela e o primo, Mateus Peporine, descendo a montanha. Na outra, nós 4, depois de um dia imersos na neve! kkk

ma e ju
Califórnia/2013

nos

 

 

 

 

 

 

As roupas adequadas são muito, muito importantes. Não adianta se encher de blusa de lã. Tem que ser a roupa certa. Pra começar, blusa e calça térmica, para suportar as baixas temperaturas. Sobre elas, calça e casaco impermeáveis são bem-vindos, além das luvas, também impermeáveis. A maior parte das estações de esqui aluga essas roupas especiais para esquiar, além do equipamento próprio. As meias também devem ser adequadas, mas não muito grossas, para não limitar os movimentos dos pés. Uma loja que adoro comprar roupas de esqui é a Columbia. Tem nos EUA e Canadá e vende online, também. Dá para comprar e mandar entregar no hotel onde você vai ficar. http://www.columbia.com

E, assim, voltamos para Aspen, que, por sinal, é linda, linda, linda de viver! Dessa vez, a família completa. As montanhas de lá (Snowmass, Buttermilk, Highlands e Aspen Mountain) estão entre as melhores do mundo para a prática de esqui e são as melhores dos EUA. Na foto, nós, lá no topo da Buttermilk. Olha só a Mabê, iniciando no esporte, com 4 anos! Contratamos um professor para a família. Nos dias seguintes, a Giulia e o Fábio esquiaram “por conta”. rs

 

nos aspen
Aspen/2014

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E a Giulia já havia passado de estágio…ela é craque. Na foto, observa a montanha que tinha acabado de descer…(Snowmass)

linda
Aspen/2014

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os belos movimentos da Giulia, de ir para um lado e para o outro, fazendo um zigue-zague na neve, vêm de um princípio: as curvas. Fecha-se um só esqui, o do lado contrário ao que se quer virar, tombando levemente o corpo também na direção contrária. E nunca olhar para baixo. Ver a velocidade dá medo e deixa as pessoas que estão começando inseguras.

Os funcionário e professores das montanhas vão te ensinar como carregar o esqui de maneira prática. Prende-se um esqui ao outro e segura-se no suporte. Também prendem-se as duas botas pelo velcro (usado para fechá-las), para carregar mais facilmente nas mãos ou nos ombros. Assim, os percursos de ida e volta às pistas serão mais tranquilos. Antes de qualquer coisa, é recomendado andar com a bota de esqui para se acostumar. Para se movimentar com elas, antes de esquiar propriamente, é necessário flexionar os joelhos o tempo todo, como explicam os  instrutores.

Não se assuste se você colocar os esquis nos pés e não conseguir parar em pé. Com um pouco de boa vontade, tudo dá certo. Treinar para colocar e tirar o esqui também é uma dica antes de começas a deslizar na neve. No começo, pode parecer difícil. Mas calma. Até a minha Mabezinha já tá craque em fazer isso.

Já na pista, sempre lembre de deixar o corpo para a frente. Ter a postura corporal correta é fundamental para se equilibrar sobre o esqui e evitar quedas. O equipamento é feito para suportar o peso de nosso corpo. Jogando o corpo para frente, o risco de cair é bem menor.

E olha só a gente em MontTreamblant, no Canadá, esquiando! Essa cidade é MARAVILHOSA e a pista de lá é considerada a melhor para esquiar no lado francês do país. Fomos de carro, saindo de Montreal. Estrada maravilhosa! A única observação é usar MESMO roupas térmicas. Por lá, faz -40C!!!

topo
Mabê a Jujú no topo da montanha! Canadá/2015

 

 

 

 

canada 4
Canadá/2015
canada
Canadá/2015
z
Canadá/2015 . Observe nossos esquis (meus e da Giulia) na foto. Esse movimento em V ou PIZZA é o freio do esqui, pelo menos para os iniciantes. E para ficar parado, também. A cunha( como também é chamado) é o movimento de abrir bastante as pernas, fechando os esquis, mas sem cruzá-los. Ela funciona como freio, porque os esquis paralelos é que fazem você deslizar.
img_0744
E olha a Mabê levando a boneca para esquiar em Okemo, no estado de Vermont, EUA, em janeiro de 2016!
img_0735
E nós 4, após um dia de muita diversão! Okemo, Vermont (EUA)
A dica final é perder o medo. Com confiança e segurança garantidas, é hora de se divertir e brincar.
Estado do Colorado (EUA), Canadá, Estado de Nevada (EUA), Estado de Utah (EUA), alguns lugares da França, Suíça, Italia. Nesses lugares, estão várias das consideradas melhores pistas do mundo.
Mas, como nós fizemos em Big Bear Lake, basta estar nevando, ser uma pista sem perigos, ter bons professores e uma boa hospedagem para a diversão ser garantida!
Um bom site para pesquisar é o http://www.tripadvisor.com
ju arrumando ma
As irmãs se ajudam na hora de tirar os equipamentos.