Aventura

Nossa maior intenção quando decidimos viajar no inverno para o Alasca era mesmo ver a aurora boreal. Depois de muito pesquisar, descobrimos que a cidade de Fairbanks, no centro norte do estado, é o melhor lugar do mundo para isso. Melhor do que a Noruega, do que a Islândia, Russia, etc.

Fairbanks fica na “mira”, na ” rota” certinha das explosões dos raios solares que formam as luzes da aurora.

Pois é… ficamos 5 dias em Fairbanks e região, debaixo de uma neve danada. Rs. Com céu encoberto, chance zero de avistar a ” nossa amiga” boreal. Mas ainda ficaríamos mais 6 dias na parte sul do estado, na região de Anchorage. Lá embaixo, a probabilidade de avistar as luzes do norte são menores. Mas não são raras. E nós somos persistentes…

Existem alguns sites oficiais ( tipo clima tempo e weather chanel, para o clima, mas estes específicos para aurora boreal) que mostram, noite por noite, o quão intensas serão as explosões (na verdade, o quão estão sendo…essas explosões quase que não param, mas durante o dia não dá para ver!).

Para nossa sorte ( uhuuuuuuu), em um dia da nossa estada em Anchorage, as explosões estariam fortes e as luzes chegariam até o sul do Alasca. Faltava ver a previsão do tempo… que era neve, neve e neve…

Nos 3 dias em que esquiamos, a neve não parou de cair. Mas o tempo acabou abrindo…bem na noite em que precisávamos disso!

Existem pacotes de passeios que levam os turistas para tentar ver a aurora. São caros. Mas, para quem não está acostumado a dirigir na neve, vale a pena pagar. Como já alugamos carros em lugares assim por algumas vezes, ficamos confiantes em “caçar” sozinhos.

Pegamos o carro umas 10:30 da noite. Eu, Fábio e as crianças. Levamos snacks para comer e muita água e coca-cola para tirar o sono. Pesquisamos em alguns sites de lá, que contam os melhores lugares para se avistar a aurora. E vimos que o melhor por ali é subir rumo à cidade de Palmer ( um pouco mais de uma hora de Anchorage).

Quando a cidade se aproxima, a pista se torna mão dupla e existem, de quilômetros à quilômetros, uns ” bolsões” para se estacionar carros. Basta parar em um bem alto ( a estrada sobe e desce) e sempre olhar para o norte. A temperatura era de -32C ( -28F)

 

 

 

 

 

 

 

 

Andamos por um tempo, íamos e voltávamos na estrada, perto da parte mais alta da região. Foi quando vi um feixe de luz, que parece ter subido do chão, do meu lado do carro. Estávamos rumo ao sul e gritei ( de euforia) para o Fábio parar o carro no bolsão, virado para o norte. E foi aí que o espetáculo começou!

Primeiro, era como se fosse um arco íris verde!

 

 

 

 

 





 

 

 

Depois, as luzes começaram a dançar…algo simplesmente divino!

Tentamos tirar algumas fotos junto da “dona aurora”, mas ficou desfocado. É preciso uma máquina super profissional para registrar com perfeição. A nossa não é tão profissional assim, apesar de ser muito bem avaliada!

 

 

 

 

 

 

 

 

Vale registrar que a câmera do celular ( mesmo a do último modelo de iphone, no caso o 7) NÃO IDENTIFICA a imagem da aurora. Nem em foto, nem em vídeo. Fica tudo preto. Nossa sorte, foi a câmera que levamos.

Aquela meia hora ali, no meio do nada, num frio congelante… jamais vai sair da nossa memória! Valeu, “dona aurora”! Você fez uma família feliz! Muito feliz!

Aventura

Quando a gente pensa no Alasca, logo vem à cabeça o frio imenso que faz lá. Sim, isso é verdade. Mas por muitos dias de outono e inverno, as temperaturas ficam próximas de zero ( nunca positivas, mas em torno de -5C de máxima) e dá para ficar tranquilamente na montanha.

Na região de Fairbanks não tem montanha, por isso, não tem estação de ski. Observe no mapa onde estão as cidades:

 

 

 

 

 

 

 

Mas lá em Anchorage estão aquelas montanhas maravilhosas e branquinhas, que já se tornaram símbolo do Alasca. As montanhas são coladas no mar, o que deixa a paisagem simplesmente deslumbrante. Como na maior parte do tempo as temperaturas são muito abaixo de zero, parte do mar fica congelada.

Observe a montanha e um braço do mar congelado logo atrás da gente!

 

 

 

 

 

 

A cidade de Anchorage é o lugar mais lindo onde eu já fui. E olha que conheço lugares belíssimos na Suíça, parte da Europa, Colorado (EUA) e Canadá. Anchorage tem montanha e mar. E a cidade tem, na grande extensão, aproximadamete 400 mil habitantes. A Universidade do Alasca tem campus em Anchorage e Fairbanks. E que campus! Lindo, enorme e muito estruturado! Goleando qualquer universidade brasileira.

Diferentemente de algumas cidades grandes que não têm neve constante no inverno, Anchorage é branquinha!!! E maravilhosa!

Jujú na calçada, saindo de um restaurante em Anchorage.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aproximadamente 40 minutos de carro de Anchorage, passando por uma estrada também maravilhosa à beira mar, fica a cidade de Girdwood. E lá está a estação de ski Alyeska. O hotel da estação, que leva o mesmo nome, é um charme! Mas eu aconselho a hospedagem nos chalezinhos que ficam na região. É no meio da floresta!!

A montanha ao fundo é da estação Alyeska

 

 

 

 

 

 

Para iniciantes, a estação é ótima! Tem 3 magic carpets e um teleférico que leva para uma pista fácil e mais longa. A única ressalva é que as pistas consideradas verdes de lá ( verde são as mais fáceis, depois do magic carpet) são, na verdade, de dificuldade “azul ” ( mais inclinadas). Os próprios monitores do teleférico avisam isso. Mas, para os Neves da minha casa, nenhuma inclinação é problema! kkkk ( pra mim é…mas eu tiro a pá do pé e desço de bota…kkkk)

A vista de cima da montanha também é deslumbrante…dá pra ver o mar lá embaixo!! Fora a paisagem das outras montanhas!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em alguns dias da semana, tem ski à noite! As pistas são super iluminadas!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nossa casinha no meio da floresta, em Girdwood/ Alasca
No próximo e último post, vou contar sobre nossa caça à aurora boreal!!
Aventura

Depois de 2 dias em Fairbanks, fomos para a casa que alugamos no meio da floresta, na cidade de North Pole, que fica distante uns 20 minutos de carro. A estrada é linda e a vida selvagem por lá também existe no extremo inverno! Achamos um alce fêmea tentando comer folhas em uma árvore…

 

 

 

 

 

Como todo mundo sabe, a casa do Papai Noel fica na Lapônia, uma região da Finlândia. Mas a considerada segunda casa dele é em North Pole.

Nesse endereço, o Papai Noel recebe cartinhas de todo o mundo!!

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

As renas que trabalham com Papai Noel também estão lá!

 

 

 

 

 

 

 

 

Infelizmente, no começo de janeiro o Papai Noel tira férias…Mas valeu só de conhecer a casa dele!

Mas nossa diversão não tinha nem começado. Nosso chalé, no meio da floresta, tinha um riacho congelado no quintal. E como lá faz muito frio, dá para andar e brincar em cima dele, sem perigo de quebrar o gelo e cair na água! Brincamos de escorrear com bóia, sem bóia, correr e fazer boneco de neve com nossos vizinhos e proprietários do lugar onde estávamos…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Olha o Fábio puxando a Jujú de trenó desse vídeo…

https://www.youtube.com/watch?v=qvASC4qzZGg&feature=youtu.be

Um outro passeio simplesmente emocionante e maravilhoso é o de snow machine ou snowmobile nas trilhas usadas apenas pelo pessoal local. Nosso vizinho foi nosso guia. Sem ele, impossível achar o caminho de volta! Rs…

 

Fizemos até fogueira e tomamos chocolate quente! Mas eu disse no outro post que a região de Fairbanks é a melhor do mundo para avistar a aurora boreal. Mas nevou nos 6 dias que ficamos por lá. Com céu encoberto, é impossível… mas nós somos persistentes…fomos até a cidade de Anchorage…e lá conseguimos contemplar o espetáculo. Mas isso fica para o próximo post!!!!

 

 

Aventura

Sim, nós amamos a Disney e ponto final. Mas quem pensa que viagem com crianças tem que ser apenas para a Disney, se engana totalmente. Aqui em casa, a gente gosta de ousar em nossos destinos. Mesmo que sejam lugares mais comuns, como Nova Iorque, a gente sempre arranja algo diferente e inusitado pra fazer.

Nosso ” caso de amor” com o Alasca começou assim…

O Fábio, meu marido, sempre quis conhecer o estado, devido à vida meio ” misteriosa” do pessoal de lá e, também, por todos os fatos históricos.

Os Estados Unidos compraram o Alasca da Rússia em 18 de outubro de 1867.  O Império Russo passava por uma crise econômica terrível, com sérias dificuldades financeiras para se manter. Valor da compra?  7,2 milhões de dólares. Apenas nos cinquenta primeiros anos de posse, os americanos extraíram riquezas cem vezes superiores a esse valor… Mas o Alasca só se tornou oficialmente estado americano em 1959. E o inglês passou a ser a língua oficial de lá apenas em 1988.

Hoje em dia, os recursos naturais do Alasca contribuem significativamente para a economia dos EUA. Principalmente o petróleo. O Estado tem, também, uma indústria de turismo viável. Isso seria insano?

Aliás, o que vem à sua mente quando o assunto é o Alasca? Provavelmente frio, esquimós, iglus, neve, ursos e mais frio e neve. Tudo isso é verdade.  Mas muito além disso, o Alasca é um dos lugares mais impressionantes do mundo. Tem um imponente e exuberante cenário, ladeado por geleiras do período glacial e uma abundante vida selvagem. Sim… nada se compara ao Alasca.

Uma recente pesquisa do Departamento de Administração de Transportes Marítimos dos Estados Unidos revelou que, depois do Caribe, o segundo destino preferido entre as pessoas que pretendem fazer um cruzeiro marítimo é, pasmem, o Alasca! (fonte: correio.rac.com.br)

Por isso, esqueça as Ilhas Gregas, a costa da Itália e Ibiza. Chegou a hora de entrar numa fria. Rs! E nós entramos nela. A ” fria” mais deliciosa e maravilhosa do mundo!

Nós tínhamos muitas milhas acumuladas da American Airlines. Trocamos uns 3 meses antes.

Passamos um tempo em Nova Iorque e nosso vôo para Fairbanks foi no dia 9 de janeiro de 2017. Chegamos de madrugada. Lá, o fuso horário no inverno é de 4 horas a menos que Nova Iorque e 7 a menos do que São Paulo.

Fairbanks não fica em uma região montanhosa, por isso não se pratica ski por lá. O oleoduto que transporta o petróleo extraído em Prudhoe Bay (norte do Alasca) até Valdez (sul do Alasca) passa ao lado da cidade. Basta dar um passeio de carro que rapidinho ele é avistado.

oleoduto
Essa imagem é no verão. Nós o vimos cheinho de neve e com temperatura de -14 F ( -20C) fora do carro!

 

 

 

 

 

 

 

Ao contrário do que muitos pensam, a cidade tem uma estrututa ótima! Lá é considerado o melhor lugar do Alasca e do mundo para se avistar a Aurora Boreal. Mas isso eu vou contar em outro post.

O local conta com vários hotéis e restaurantes. E o aeroporto tem várias locadoras de carros. Quem já está acostumado a dirigir na neve ( nós já passamos por algumas experiências), não vai ter dificuldades por lá. Só notamos o asfalto um pouco mais escorregadio, devido ao acúmulo de gelo.

Olha só no vídeo!

https://www.youtube.com/watch?v=5G1MkjcLd90&feature=youtu.be

Lembre-se: lá tem neve por todo lado!! E o inverno inteiro! Mas nada que a atenção ao volante e cuidado não resolvam. Os pneus dos carros são apropriados para a neve, dificilmente usa-se correntes neles hoje em dia.

O interessante em Fairbanks é que todos os carros têm um plug e uma tomada. E em todos os lugares têm o outro plug para se ligar a tomada. Enquanto os carros estão desligados, precisam ficar conectados à essa tomada para não congelarem! Olha que interessante esse vídeo que gravei!

https://www.youtube.com/watch?v=E7arSRfdtkg

No inverno, o dias por aqui amanhacem por volta das 10:30hs!!

https://www.youtube.com/watch?v=3HszNP3Y_U8&feature=youtu.be

Em Fairbanks, existe um braço da Universidade do Alasca. Lá no campus, tem um museu da história local, da vida selvagem de lá e de como viviam os esquimós (ou inuits, nome dos membros da nação indígena esquimó que habitam as regiões árticas do Canadá, do Alasca e da Groenlândia). O acervo de objetos, roupas, ferramentas de caça… desse pessoal é muito bacana! Além do lugar onde esse museu fica ser maravilhoso!!

blog 2 blog 3

 

 

 

 

 

No próximo post, contarei sobre a casa que ficamos no meio da floresta, na cidade de North Pole, pertinho de Fairbanks. Nesta cidadezinha fica a casa do papai noel!

Até la!