Indica

Minhas filhas não se empolgaram muito em ir ao show do cantor canadense Justin Bieber em São Paulo ( me admira ele ser canadense e ser um ser humano tão indecente…inclusive com passagem pela polícia…aliás, ele é uma figurinha bem frequente nas páginas policiais pelo mundo a fora…um estereótipo beeemmmm diferente das pessoas que conheci quando visitei o Canadá.)

Imagine! Até pedido de prisão internacional, com intermédio da Interpol, ele já teve!  O rapaz adora bater em fotógrafo, agredir motoristas que trabalham para ele, brigar no trânsito, pichar muro, digigir em alta velocidade, dirigir bêbado, namorar modelo que já teve passagem pela polícia por esfaquear outra mulher …etc…etc…

Jujú, Mabê e Ariana Grande

Com minha vida de jornalista, acabei me deparando várias vezes com essas figurinhas carimbadas no mercado da música nacional e internacional. E nunca me decepcionei com nenhuma delas. Inclusive tive, no último ano, experiências fantásticas com a Ariana Grande, Jessie J e Shaw Mendes e minhas filhas.

 

 

 

 

 

 

Jessie J super carinhosa com Mabê

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jessie J conversa com Mabê em Nova Iorque.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bom, vamos continuar falando do nosso coleguinha Bieber.

Mesmo não sendo o queridinho das minhas filhas ( apesar de gostarem bastante das músicas, mas não muito dele…), saber que ele alugou uma casa bem perto da nossa para se hospedar na passagem por São Paulo facilitou bastante para dar aquela vontadezinha de vê-lo pessoalmente. Afinal, é o Justin Bieber…

As críticas a ele em relação os shows no Rio e em São Paulo nesse ano de 2017 não foram lá tão boas. Lugares vazios apareciam nas imagens do evento. A falta de empolgação dele era visível. A brincadeira babaca de ” primeiro de abril” fez com ele voltasse para o palco mostrando, nitidamente, a cara de ” quero mesmo ir embora daqui”. Prova disso é que ele nem compareceu na tal festinha pós show que fizeram pra ele em SP. Tanto no sábado, quanto no domingo, ele voltou para a casa em que se hospedou logo após o show. E não saiu mais.

A casa, que fica em um condomínio na grande São Paulo, é grande e bem bonita. E a entrada no condomínio só é permitida para moradores e convidados. E a segurança, com ou sem Justin Bieber, é enorme. Então, não mais que 10 meninas, moradoras e amigas pessoais de moradoras, com no máximo 14 anos, ficaram lá na porta, para tentar ver o ídolo.

E CLARO  que ele as ignorou! Não fez questão nem de abanar a mão, mesmo que de dentro do carro, para aquelas meninas que, talvez, tenham tanto dinheiro quanto ele.

E detalhe: Não sei se é o uso excessivo dele de álcool e drogas … mas o biotipo do rapazinho fora do palco e sem produção é um horror! Imagine um “bonecão de Olinda”, bem magricelo?

Ahh! A equipe de seguranças dele também é mal educada… como ele. Mas confesso que ficaram bem envergonhados quando foram respondidos em lindo e perfeito inglês por todas as meninas que ali estavam, todas estudantes de escolas americanas.

Nesse video, ele está na piscina da casa, tentando ” aparecer” um pouquinho, fazendo tipo de ” não me olhe”. Rs

https://www.youtube.com/watch?v=I9cxszg4Qmo

Os três próximos, fui eu quem gravei.

As meninas esperando na porta:

https://www.youtube.com/watch?v=nmNUclEQExM

O carro, com ele dentro, chegando:

https://www.youtube.com/watch?v=w4iK-1vGEvI

E ele saindo do carro:

https://www.youtube.com/watch?v=h7q1H-wnDVY

Pra finalizar, essa imagem bem legal dele, cuspindo nas fãs em um hotel…

Que feio, Justin…que feio…

 

 

 

Aventura

Como eu disse no post anterior, eu buscava um destino de montanha e neve para comemorarmos nossos 15 anos de casamento. Eu já conhecia a Espanha (o Fabio, não), mas na catalunha nós nunca tínhamos ido. Então, pensei em Barcelona. Mas onde esquiar perto de Barcelona? Basta dar um google que facilmente se descobre o destino tooooop do pessoal de lá nos fins de semana: Andorra. Eu já tinha ouvido falar desse pequeno principado, de apenas 76 mil habitantes. Mas resolvi pesquisar sobre a região.

Para chegar até Andorra, é preciso ir, de avião, até Toulouse ( França) ou Barcelona ( Espanha). Barcelona me atrai mais, então comprei as passagens pra lá, o que deixou o Fábio surpreso e muito feliz com o convite! As paradas de mais de 12 horas em Miami ( na ida) e Nova Iorque ( na volta) foram propositais. A Europa é linda, mas a gente ama mesmo os Estados Unidos e não poderíamos deixar de dar uma passadinha por lá numa data tão bacana pra gente.

Chegamos em Barcelona via Miami. Vôo de 8 horas, bem tranquilo. Pegamos o carro que alugamos ( uma dica é alugar carros pequenos na Europa! As ruas costumam ser estreitas e nunca tem vaga para parar…)

Nossa primeira parada foi o Camp Nou, estádio do time do Barcelona. Fizemos um tour por tudo e o Fábio amou! Confesso que até eu amei! Lembrei da minha época de repórter esportiva.

Quem diria que um dia sentaríamos no banco de reservas do Camp Nou…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Depois, seguimos para o bairro gótico. Tudo muito lindo e moderno, com restaurantes sensacionais. Mas paramos mesmo na igreja da Sagrada Família, para receber uma benção ( claro que não foi cerimônia, foi só entre a gente mesmo! rs) pelo nosso casamento, já que a gente não casou e não teve nada disso….

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Demos mais uma voltinha pela cidade e pegamos a estrada para Andorra. Tudo muito bem sinalizado. Usamos o Waze e o GPS do carro, mas talvez nem precisasse. Passando a fronteira da Espanha para Andorra ( depois de quase 3 horas de carro), veio a surpresa: o sinal de celular simplesmente SOME. kkkk! Eu ri para não chorar, porque todo lugar que tem wifi por lá tem o sinal péssimo…minha preocupação era a comunicação com as crianças.

Andorra tem apenas uma empresa de telefonia celular. E o chip de qualquer outro lugar do mundo ( o meu da Vivo vira T-Mobile ou AT&T, nos EUA…vira Movstar, na Espanha… e assim por diante… claro que, para usar, é cobrado o deslocamento internacional, mas pelo menos existe sinal) não funciona por lá. A loja da operadora não abre aos finais de semana ( chegamos na sexta- feira, às 7 da noite…) e não existe a opção de um chip pré -pago. É preciso fazer uma assinatura…tudo bem complicado.

Se as nossas filhas estivessem conosco, daríamos um ” que se dane” para a internet. Mas… não poderia ser assim na nossa situação, né…

Como estávamos 4 horas à frente do Brasil, devido ao fuso horário, usávamos a internet ( o wifi dos lugares) em horários alternativos, no meio da manhã ou da tarde. E aí funcionava bem, pois menos pessoas estavam ” penduradas” (rs) na rede. E deixamos o telefone do hotel com as meninas no Brasil. No fim, tudo deu certo.

A língua falada lá é o catalão, mas quase todo mundo fala espanhol e, nas estações de esqui e grandes lojas, falam inglês também. O principado é lindo. Cheio de restaurantes charmosos, paisagens maravilhosas. Além de ser ótimo para compras. Andorra é livre de impostos. Acredite: é muito mais barato comprar lá do que nos EUA.

Nosso primeiro dia  ( e nevando!!) foi para andar e conhecer toda região. Olha como lá é bem pequeno:

Andorra la Vella é a capital. Ficamos em La Massana e esquiamos em Ordino. Dá para andar o país todo em poucas horas. E por lá ainda existem muitas construções e igrejas da época medieval.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Igreja do século XVII 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nos dias seguintes, além de namorar bastante(rs) , esquiamos. Pesquisamos e lá  existem mais de 5 estações maravilhosas de esqui. Algumas atendem só os bem experientes, com apenas pistas vermelhas e pretas, ou seja, bem difíceis( esse grau VERMELHO de dificuldade não existe nas pistas americanas)

Mas achamos a Ordino-Arcallis, que agrada a todos os gostos. E é a parte mais alta da cidade.

Falando em altitude, atente-se que Andorra está bem acima do nível do mar. A viagem de Barcelona pra lá é só de subida…então, o ar é rarefeito. Não estranhe se sentir cansaço grande, tonturas, náuseas e até sangramento no nariz, como aconteceu comigo. A parte mais baixa da cidade está a 1900 m em relação ao nível do mar. No alto da montanha, certamente estávamos a quase 3000m.

As pistas de Ordino-Acallis são ótimas, inclusive para iniciantes! Recomendo!! Nos divertimos bastante! A cordilheira de montanhas chama-se Pirineus e passa pelo sudoeste da Europa. Além de Andorra, abrange França e Espanha.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como a França está ali do lado, tiramos um dia para dar uma passadinha por lá. A cidade de Foix, que fica 1 hora e meia de carro, tem um castelo medieval datado dos anos 900 DC. É uma cidadezinha beeemmm pequenininha. E por lá só se fala francês…mas achamos um restaurante brasileiro!!! Isso mesmo!! Um rapaz da Bahia que se casou com uma francesa!

Olha o castelo lá atrás!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Voltamos para Barcelona e ainda deu tempo de visitarmos algumas praias do Mar Mediterrâneo.

E a paradinha em Nova Iorque, na volta, foi mesmo para trazer presentes para as filhotas!

A dica do que ficou de tudo isso: divida momentos bons com quem faz questão de seguir sempre com você! A vida é muito mais colorida assim!
AventuraEstilo

Chegar aos 15 anos de casamento amando, desejando e admirando o parceiro(a) não é fácil. Mas se o motivo da união foi realmente o amor, literalmente na alegria e na tristeza, certamente o casal consegue. Quantas tristezas, dúvidas, economias…eu e o Fábio passamos até aqui!

Quem nos conhece sabe que a gente não teve festa de casamento. Nem casamento, nem lua de mel. Preferimos juntar nosso suado dinheiro para comprar nosso primeiro apartamento. Com muito trabalho, dedicação e perseverança, nunca duvidamos que um dia teríamos nossa família. E realizaríamos todos os nossos sonhos! Sim, hoje a gente vive exatamente como planejou há mais de 15 anos.

Essa ” tática” de trabalhar bastante, guardar e investir dinheiro enquanto se está na casa dos 20 e 30 anos é infalível. Todos nós precisamos de momentos de lazer, isso é bem óbvio. Mas tudo que precisei privar da minha vida devido ao excesso de trabalho e investimento financeiro ( seja no banco, em imóveis, em terrenos…) fazem de mim hoje uma mulher jovem e independente, sem mais ter que trabalhar 14 ou 15 horas por dia e nem me preocupar com meu futuro financeiro.

Alguns chamam isso de sorte. Outros, dizem que o dinheiro vem do meu marido ou do meu pai. Mas meu marido, que até hoje é meu parceiro de trabalho, sabe o quanto já passamos para chegar onde chegamos. E nenhum de nós têm vergonha de dizer que, quando eu estive sem trabalho, ele segurou tudo sozinho. E, quando ele começou a trabalhar por conta própria, a responsável por ” bancar ” a casa fui eu. E por alguns anos…

” Deus ajuda” quem ” se ajuda”. Isso é fato!

No começo do texto, falei da admiração ao parceiro (a). Ahh! Se essa morre, pode ter certeza que a união morre também. A beleza influi, sim! Mas quem nunca teve asco de gente bonita e “ôca”? Gente que depende financeira e/ou emocionalmente do parceiro (a)? Gente fútil…( se te sobra dinheiro, faça um trabalho voluntário!)… gente sem conhecimento ( existem váaaarioooossss cursos ótimos e gratuitos por aí….), enfim… quando o assunto é amor de verdade, a beleza não importa tanto. Eu gosto de me cuidar e os resultados disso são visíveis. Claro que o Fábio gosta. Mas com o tempo fui aprendendo que ele me admira muito mais pela parceria. Por saber que pode contar comigo para o que der e vier. Por saber que se precisar de um abraço, um conselho, dinheiro, carinho e até broncas necessárias… eu darei. E que eu não entro em nada para fazer mais ou menos. Que batalho até o final! E, então, a gente batalha junto!

E foi fazendo essa retrospectiva que decidimos comemorar nossos 15 anos morando debaixo do mesmo teto. E fazendo o que a gente mais ama: viajar! E para o destino que nos encanta cada dia mais: montanha e neve! Lembre-se sempre: comemore a vida da maneira que VOCÊ ama, não da maneira que OS OUTROS gostariam que fosse…

Outro coisa que nos privamos muito foi viajar sem nossas filhas. Devido ao grande volume de trabalho e, principalmente, porque sempre dependemos de funcionários para cuidar delas enquanto estávamos trabalhando. E, de todo coração: A GENTE NÃO SE ARREPENDE! Nossas filhas já viajaram par vários lugares por aí ( até destinos nada apropriados para crianças…) e amaram!! E essa parceria faz com que elas sejam nossas amigas, confidentes e com a cabeça aberta para o mundo! Nenhuma das duas pretende estudar, trabalhar, morar no Brasil quando adultas…e eu, particularmente, acho ótimo! Rs

A idéia de comemorar viajando nossos 15 anos casados foi minha. Eu comprei nossas passagens para Barcelona, Espanha. E disse: ” vamos esquiar mais um pouquinho?” ( a gente tinha voltado do Alasca há 1 mês…rs). Ele ficou surpreso, mas achou o máximo! ( lembra da história da admiração?) E ainda fiz um roteiro bem inusitado para apenas 9 dias: Saímos de São Paulo, com destino à Miami. Passamos o dia na praia. De lá, seguimos para Barcelona. Passamos o dia lá! Alugamos um carro e fomos para Andorra ( um principado liiiindo e cheio de neve no inverno, bem perto da Espanha). Ficamos 5 dias por lá. Ainda passamos um dia em Foix, na França ( a França também está pertinho de Andorra). Voltamos para Barcelona e seguimos para Nova Iorque, para fechar com chave de ouro nossas comemorações. Na verdade, passamos mesmo na loja da Disney, para comprar presentes par as filhotas e buscar algumas váaaariasssss encomendas para…elas!!!! kkkkk

No próximo post, vou contar detalhes da nossa viagem! Em Andorra não tem impostos, é maravilhoso para compras! Além das várias pistas de esqui!!

 

Aventura

Nossa maior intenção quando decidimos viajar no inverno para o Alasca era mesmo ver a aurora boreal. Depois de muito pesquisar, descobrimos que a cidade de Fairbanks, no centro norte do estado, é o melhor lugar do mundo para isso. Melhor do que a Noruega, do que a Islândia, Russia, etc.

Fairbanks fica na “mira”, na ” rota” certinha das explosões dos raios solares que formam as luzes da aurora.

Pois é… ficamos 5 dias em Fairbanks e região, debaixo de uma neve danada. Rs. Com céu encoberto, chance zero de avistar a ” nossa amiga” boreal. Mas ainda ficaríamos mais 6 dias na parte sul do estado, na região de Anchorage. Lá embaixo, a probabilidade de avistar as luzes do norte são menores. Mas não são raras. E nós somos persistentes…

Existem alguns sites oficiais ( tipo clima tempo e weather chanel, para o clima, mas estes específicos para aurora boreal) que mostram, noite por noite, o quão intensas serão as explosões (na verdade, o quão estão sendo…essas explosões quase que não param, mas durante o dia não dá para ver!).

Para nossa sorte ( uhuuuuuuu), em um dia da nossa estada em Anchorage, as explosões estariam fortes e as luzes chegariam até o sul do Alasca. Faltava ver a previsão do tempo… que era neve, neve e neve…

Nos 3 dias em que esquiamos, a neve não parou de cair. Mas o tempo acabou abrindo…bem na noite em que precisávamos disso!

Existem pacotes de passeios que levam os turistas para tentar ver a aurora. São caros. Mas, para quem não está acostumado a dirigir na neve, vale a pena pagar. Como já alugamos carros em lugares assim por algumas vezes, ficamos confiantes em “caçar” sozinhos.

Pegamos o carro umas 10:30 da noite. Eu, Fábio e as crianças. Levamos snacks para comer e muita água e coca-cola para tirar o sono. Pesquisamos em alguns sites de lá, que contam os melhores lugares para se avistar a aurora. E vimos que o melhor por ali é subir rumo à cidade de Palmer ( um pouco mais de uma hora de Anchorage).

Quando a cidade se aproxima, a pista se torna mão dupla e existem, de quilômetros à quilômetros, uns ” bolsões” para se estacionar carros. Basta parar em um bem alto ( a estrada sobe e desce) e sempre olhar para o norte. A temperatura era de -32C ( -28F)

 

 

 

 

 

 

 

 

Andamos por um tempo, íamos e voltávamos na estrada, perto da parte mais alta da região. Foi quando vi um feixe de luz, que parece ter subido do chão, do meu lado do carro. Estávamos rumo ao sul e gritei ( de euforia) para o Fábio parar o carro no bolsão, virado para o norte. E foi aí que o espetáculo começou!

Primeiro, era como se fosse um arco íris verde!

 

 

 

 

 





 

 

 

Depois, as luzes começaram a dançar…algo simplesmente divino!

Tentamos tirar algumas fotos junto da “dona aurora”, mas ficou desfocado. É preciso uma máquina super profissional para registrar com perfeição. A nossa não é tão profissional assim, apesar de ser muito bem avaliada!

 

 

 

 

 

 

 

 

Vale registrar que a câmera do celular ( mesmo a do último modelo de iphone, no caso o 7) NÃO IDENTIFICA a imagem da aurora. Nem em foto, nem em vídeo. Fica tudo preto. Nossa sorte, foi a câmera que levamos.

Aquela meia hora ali, no meio do nada, num frio congelante… jamais vai sair da nossa memória! Valeu, “dona aurora”! Você fez uma família feliz! Muito feliz!

Aventura

Quando a gente pensa no Alasca, logo vem à cabeça o frio imenso que faz lá. Sim, isso é verdade. Mas por muitos dias de outono e inverno, as temperaturas ficam próximas de zero ( nunca positivas, mas em torno de -5C de máxima) e dá para ficar tranquilamente na montanha.

Na região de Fairbanks não tem montanha, por isso, não tem estação de ski. Observe no mapa onde estão as cidades:

 

 

 

 

 

 

 

Mas lá em Anchorage estão aquelas montanhas maravilhosas e branquinhas, que já se tornaram símbolo do Alasca. As montanhas são coladas no mar, o que deixa a paisagem simplesmente deslumbrante. Como na maior parte do tempo as temperaturas são muito abaixo de zero, parte do mar fica congelada.

Observe a montanha e um braço do mar congelado logo atrás da gente!

 

 

 

 

 

 

A cidade de Anchorage é o lugar mais lindo onde eu já fui. E olha que conheço lugares belíssimos na Suíça, parte da Europa, Colorado (EUA) e Canadá. Anchorage tem montanha e mar. E a cidade tem, na grande extensão, aproximadamete 400 mil habitantes. A Universidade do Alasca tem campus em Anchorage e Fairbanks. E que campus! Lindo, enorme e muito estruturado! Goleando qualquer universidade brasileira.

Diferentemente de algumas cidades grandes que não têm neve constante no inverno, Anchorage é branquinha!!! E maravilhosa!

Jujú na calçada, saindo de um restaurante em Anchorage.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aproximadamente 40 minutos de carro de Anchorage, passando por uma estrada também maravilhosa à beira mar, fica a cidade de Girdwood. E lá está a estação de ski Alyeska. O hotel da estação, que leva o mesmo nome, é um charme! Mas eu aconselho a hospedagem nos chalezinhos que ficam na região. É no meio da floresta!!

A montanha ao fundo é da estação Alyeska

 

 

 

 

 

 

Para iniciantes, a estação é ótima! Tem 3 magic carpets e um teleférico que leva para uma pista fácil e mais longa. A única ressalva é que as pistas consideradas verdes de lá ( verde são as mais fáceis, depois do magic carpet) são, na verdade, de dificuldade “azul ” ( mais inclinadas). Os próprios monitores do teleférico avisam isso. Mas, para os Neves da minha casa, nenhuma inclinação é problema! kkkk ( pra mim é…mas eu tiro a pá do pé e desço de bota…kkkk)

A vista de cima da montanha também é deslumbrante…dá pra ver o mar lá embaixo!! Fora a paisagem das outras montanhas!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em alguns dias da semana, tem ski à noite! As pistas são super iluminadas!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nossa casinha no meio da floresta, em Girdwood/ Alasca
No próximo e último post, vou contar sobre nossa caça à aurora boreal!!
Estilo

Por que, em várias partes do mundo, o dia dos namorados é celebrado hoje, 14 de fevereiro?

A comemoração desta data vem lá do império romano. Um bispo da Igreja Católica, São Valentim, foi proibido pelo imperador romano Claudius II de realizar casamentos. Os matrimônios estavam proibidos durante as guerras, pois acreditava-se que os solteiros eram melhores combatentes. Mas o bispo, para ajudar os casais apaixonados, desrespeitou a ordem imperial e continuou com as celebrações. E de forma secreta. Foi preso pelos soldados e condenado à morte. Enquanto estava na prisão, recebeu vários bilhetes e cartões de jovens apaixonados, valorizando o amor, a paixão e o casamento. O bispo Valentim foi decapitado em 14 de fevereiro do ano 270.

No Brasil, o dia dos namorados é comemorado em 12 de junho devido ao dia de Santo Antônio, que é um dia depois, dia 13. O Santo é considerado ” casamenteiro”.