Aventura

A cada ano, o “Dia das Bruxas” vai se tornando mais popular no Brasil. Mas muitos ainda acreditram que a festa tem ligação com alguma religião ou crença. Minhas filhas estudam em uma escola americana e por lá se comemora essa data com muita diversão. Para esclarecer os pais (principalmente os brasileiros…), a escola sempre nos manda a história de como começaram as festas de Halloween. E detalhe: a festa NÃO TEVE origem nos Estados Unidos. Vamos lá:

O nome “Halloween” é uma contração do termo “All Hallow’s Eve”, que significa “véspera de todos os santos”, no inglês antigo.

Existem várias explicações para a sua origem, sendo uma delas o dia de Samhain, uma celebração celta. E, de fato, muitas das tradições que celebramos no Halloween vieram da cultura celta e gaélica. Samhain, que significa novembro, em irlandês, representa o fim do verão e do período de colheita no calendário celta.

Os celtas acreditavam que Samhain era a ligação entre os vivos e os mortos, quando os espíritos dos vivos poderiam se misturar com os espíritos dos mortos. Também é dito que esta festa representava uma celebração das pessoas falecidas desde o último Samhain( ou desde o último ano). Todos os anos, os mortos eram celebrados. Na esperança de guiar os espíritos de seus entes queridos para o seu lugar de descanso, grandes fogueiras eram acesas!

fire

 

 

 

 

 

Mas acreditava-se, também, que os espíritos dos mortos eram perigosos e poderiam passar para a terra dos vivos, praticando truques maldosos. Para impedir os espíritos de fazerem maldades, os vivos começaram a se vestir com fantasias, máscaras, capas, chifres e etc, a fim de enganar os espíritos como se eles fossem um deles! Ou seja, se vestir de bruxa, demônio, fantasma…seria uma forma de REPELIR os maus espíritos!

bu

 

 

 

 

 

 

Na segunda metade do século XIX, houve uma grande migração irlandesa para os Estados Unidos e eles levaram  suas tradições.

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

 

 

Interessante, né!

Happy Halloween!

 

Estilo

Quando o assunto é atividade física, tô dentro!

Sou aquele tipo de pessoa que odeia ficar parada! kkkk!

Eu adoro qualquer tipo de esporte, dança, musculação…etc…etc…mas esse ano descobri que nosso corpo não é uma máquina e que ele pede ajuda quando ” abusamos” nos estímulos.

Eu já sentia um incômodo nos joelhos há, pelo menos, uns 8 anos. Mas nada que me fizesse parar para refletir que algo não estivesse indo bem.

Sempre gostei muito de praticar corrida. Corrida na esteira, corrida na rua, corrida na praia, descalça. E desde sempre. Ainda adolescente, corria 5km com meu cachorro. Todos os dias. Por algumas vezes, mais de uma vez ao dia.

Como todo exercício físico, a corrida também tem que ser supervisionada. O fortalecimento das pernas é fundamental para quem pratica esse esporte. E eu não me importava muito com isso.

Além da corrida, fiz ballet clássico, karatê, jazz…e sempre usei salto alto. Pois é…chegamos ao ponto mais crucial: O SALTO ALTO.

Depois de velha(kkk), aprendi com o ortopedista que fui, o dr. Alexandre Carvalho, da clínica Ortoville, que o salto alto “empurra” o peso do corpo para o joelho…isso mesmo…o uso excessivo causa, nos joelhos, um problema parecido com quem tem sobrepeso…

Claro que o salto alto não é proibido…longe disso…mas não existe a necessidade de usar com eu sempre usei…o dia todo… no trabalho, lo laser, em viagens…

Bom, foi juntando o quebra cabeças e analisando o resultado da ressonância magnética que fiz nos dois joelhos que o dr. Alexandre chegou a conclusão que eu sou mais uma sofredora de condromalácia patelar…mas… o que é isso mesmo? Rs

Condromalácia patelar é um desgaste ou amolecimento na cartilagem do joelho e é dividida, basicamente, em quatro níveis, de acordo com a gravidade do comprometimento da patela. Quem sofre com algum grau de condromalácia patelar pode experimentar muita ou nenhuma dor, independente do grau indicado no diagnóstico. Além disso, por causar uma inflamação, pessoas com condromalácia patelar podem ter crises agudas de dor que, nestes casos, necessitam de medicação. (http://www.minhavida.com.br)

E existe tratamento?

O melhor tratamento deverá ser determinado pelo seu ortopedista.
Algumas recomendações : (www.drmarcelotostes.com)
– Diminuir ou parar com exercícios e esportes de alto impacto (como o futebol, vôlei, basquete, corrida, etc) ou atividades suspeitas de causarem a lesão. Natação é um excelente exercício para manter o condicionamento físico sem afetar o joelho.
– Reforçar os músculos fracos para reequilibrar biomecanicamente o joelho, fazendo exercícios leves e de baixo impacto. É especialmente importante reforçar o músculo vasto medial, glúteos e rotadores do quadril. para equilibrar as forças atuantes sobre a patela.
– Evitar a sobrecarga e o “overtraining”.
– O alongamento das estruturas posteriores da coxa é muito importante no tratamento da condromálacia patelar.
– Colocar gelo no joelho após os exercícios, com o joelho esticado, por 20 minutos.
– Evitar subir e descer escadas.
– Garantir lugar suficiente para a perna no carro ou no seu lugar de trabalho, evitando manter o joelho flexionado mais de 90 graus por muito tempo.
– Manter boa postura e evitar cruzar as pernas por longos períodos.
– Quando estiver deitado, não deixar o peso do corpo pressionar ou mover a patela, usando um travesseiro para manter os joelhos levemente separados e as patelas no lugar.
– Usar sapatos confortáveis, principalmente durante os exercícios, o ideal é usar o tênis.
– Perder o sobrepeso ajuda muito no tratamento.
– É imprescindível fazer uma avaliação com um ortopedista especialista em joelho, seguido de um fisioterapia ou professor de educação física para receber o tratamento correto.

No meu caso, apesar das fissuras profundas nos dois joelhos, o tratamento consiste em fortalecer mais ainda outros músculos, para não sobrecarregar os joelhos. Eu poderia fazer isso na fisioterapia ou na academia, mesmo. Optei por fazer na academia, com o meu sempre teacher Kleber Tercero.

Os resultados dependem da experiência do profissional, que vai acompanhar de perto o paciente. E da cooperação do aluno! Eu estou super me esforçando…rs…senão…vou ter que ficar de castigo do ski para sempre! kkkkk

 

 

 

 

Estilo

Como cidadã, não consigo entender como os políticos brasileiros conseguem olhar para seus filhos e seus pais. E mesmo deitar a cabeça no travesseiro e dormir tranquilamente.

Como mãe, passei essa noite em claro pensando no sofrimento dos pais que perderam seus filhos que foram se divertir no show da Ariana Grande, no Reino Unido, e morreram vítimas de um maluco que cometeu um atentado terrorista.

Como mãe de uma criança que ama a Ariana Grande e que já esteve por duas vezes em um show dela, numa situação parecida com a de ontem, fiquei completamente sem fala…sem ação…sem saber o que pensar ou fazer, imaginando que poderia ter acontecido conosco.

Minha filha Mabê, que a gente chama carinhosamente de ” Ariana Pequena”, é fã de carteirinha da cantora norte americana. Ela sabe todas as músicas, canta o tempo todo. Ela tem camisetas da artista, perfumes, fotos, batons que a marca MAC de cosméticos fez com o nome da cantora e uma coleção das famosas orelhinhas de gatinho e coelho que Ariana Grande usa em suas apresentações.

Olha aí a Mabê ” vestida” de Ariana Grande em plena lanchonete…se preparando para assistir ao show dela em Boston-EUA

 

 

 

 

 

 

 

 

Mabê e Jujú no show da Ariana Grande, no Brasil

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mabê gosta tanto da cantora que conseguimos colocar as duas -e a Jujú- pertinho uma da outra!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E foi por viver de perto essa ilusão gostosa de uma criança que fiquei muito abalada com o que aconteceu ontem na Arena Manchester, no Reino Unido.

Uma explosão…bomba feita por um terrorista…um atentado suicida…O estrondo foi ouvido por volta das 22h35 (18h35, no horário de Brasília) ao final do show da  Ariana Grande, que tem um público majoritariamente formado por crianças e adolescentes. Segundo a Manchester Arena, o incidente ocorreu do lado de fora, em um espaço público. Matou 22 pessoas e feriu outras 59, de acordo com a polícia local. Há crianças entre os mortos, mas esse número ainda não foi divulgado. ( fonte g1.globo.com)

Será que essa pessoa totalmente insana que colocou essa bomba não pensou, em nenhum minutinho, que as crianças e adolescentes que estavam lá queriam apenas ver a Ariana Grande de pertinho? Que essas famílias guardaram dinheiro para comprar esses ingressos, que essas vidas perdidas ficaram dias contando as horas para dançar junto da Ariana Grande, como faz minha filha aqui em casa??? Que se o show fosse de outro artista, as pessoas também estariam lá pelo mesmo motivo????

Pra quê acabar com a alegria das pessoas? Pra quê acabar com o futuro das pessoas?? Pra quê fazer morrer às mínguas esses pais que perderam seus filhos?????

Não dá mais para aceitar pessoas assim nesse mundo. Não dá…

Faço minhas as palavras da Ariana Grande:

“Despedaçada. Do fundo do meu coração, sinto muito. Não tenho palavras”!!!!

 

 

 

 

 

Estilo

Não vou mentir que essa história de baleia azul me deixou bastante preocupada. Até que ponto chega a falta de noção, discernimento, vergonha na cara, caráter  do ser humano…os “tais” considerados “curadores” desse jogo idiota não devem mesmo ter mais nada pra fazer da vida…seres inúteis…

A barbaridade começa com um simples convite, VIA INTERNET, para a pessoa (normalmente adolescentes de 17 à 18 anos) participar do jogo.

E como um jogo pode ter regras como essas???? :

Mutilações na palma da mão, mutilação nos braços, sair de casa de madrugada, cortar os lábios, desenhar uma baleia em partes do corpo com uma faca ou canivete, subir em locais altos e ficar parado na beira por minutos, aceitar o dia de sua morte (estipulado pelo ‘curador’), e, por fim… se matar….hã???? Sim, isso mesmo. Os tais imbecis “curadores” convencem o participante a se matar. E, por várias vezes, conseguem.

Segundo  matéria do oglobo.globo.com/, dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), divulgados recentemente, mostram que 17,5% dos alunos brasileiros com 15 anos sofrem bullying e 11,8% relatam insatisfação com a própria vida.

E o que acontece quando o espertão do curador do baleia azul acha um adolescente assim? Consegue convencê-lo do pior…

Mas como impedir que seu, meu ou o filho de qualquer pessoa entre nessa cilada?

É bem verdade que a gente aprende as coisas quando as vivenciamos. Como mãe de duas meninas, uma ainda criança e outra adolescente, vira e mexe passo por situações que me deixam sem saber o que fazer. Aprendi que mentir é a pior das situações. A relação de cumplicidade tem que existir desde sempre, independente da idade da criança.

Conversando sempre com o pediatra delas e com a equipe pedagógica da escola, vou listar algumas coisas que NUNCA DEVEMOS falar para os nossos filhos. E em relação aos mais variados assuntos. Usei a revista Superinteressante como fonte, também. Vamos lá: ( e mais à frente voltaremos à baleia azul…)

Quando eles perguntam:

De onde vêm os bebês ?

É algo bastante comum e quase sempre deixam os pais constrangidos. Contar a história da cegonha não vale. A Fabiana Litrenta, coordenadora da minha filha mais velha, me explicou que a recomendação é procurar ser mais direta e pontual possível, abandonando a crença de que a educação sexual pode estimular comportamentos inadequados precocemente. Um diálogo aberto, inclusive, faz com que, no futuro, os pequenos se tornem adultos mais conscientes e responsáveis em relação ao sexo. E posso dizer que funciona. Converso com minha filha adolescente sobre sexo como se fôssemos melhores amigas e ela é super consciente e madura. Diz que não é hora de pensar sobre isso. E -PASMEM- tem conhecidas, um pouco mais velhas, que não falam sobre isso com os pais e JÁ TRANSAM…

Falar sobre a morte com os pequenos:

Não é uma tarefa fácil, mas dizer que a vovó virou uma estrela ou “dormiu para sempre” pode fazer, por exemplo, que a criança tenha medo de ir para a cama. Dizer que alguém que morreu foi fazer uma viagem também pode causar ansiedade ou expectativas falsas. Minha mãe faleceu há 3 anos. Ela era o grande amor das minhas filhas. Eu deixei para elas decidirem se iriam ao velório ou não. Eu não tive coragem de chegar perto do caixão. Elas foram. Sofreram, mas foi bom vivenciar o luto e a realidade.

O que dizer quando seu filho chega, todo orgulhoso, com um papel borrado mostrando um suposto “lindo desenho”? Você, claro, não precisa ser extremamente crítica, mas saiba que, de acordo com psicólogos, dizer que o desenho (ou o teatrinho da escola) não ficou tão bom quanto poderia não prejudica a auto estima da criança. A verdade é que elogio exacerbado, principalmente se a situação visivelmente NÃO MERECE elogio, pode ser tão prejudicial quanto a crítica sistemática. Pense sempre nisso! Mundo do ” faz de conta” ou ” da lua” é legal só no cinema.

A palmada que educa:

Nunca sai de pauta que o castigo físico não é considerado adequado pelos especialistas. Mandar o filho “engolir o choro” ou dizer coisas como “homem não chora” tampouco é viável. Segundo os especialistas, bater em uma criança pode criar problemas imediatos e futuros. Ela pode ficar mais agressiva e, no futuro, ter mais risco de infringir leis, ir mal na escola e apresentar transtornos mentais. Mas aquela bronca firme, olhos nos olhos…funciona. E como!

E quando o assunto é a internet? E quando o assunto é um convite para jogar baleia azul?

Na minha casa, até minha filha caçula tem celular. Mas acreditem: ninguém tem conversa secreta ou pesquisa sobre pornografia por aqui. Sabe por quê? Porque nossa relação é totalmente aberta. De amizade, mesmo. Aprendi que as táticas de proibir o uso do celular e monitorar aplicativos são fadadas ao fracasso. Elas não previnem os riscos e comprometem o vínculo de confiança entre pais e filhos. E posso garantir: CONFIANÇA É A CHAVE DO NEGÓCIO!! Mas a confiança tem que começar desde cedo! Não adianta ter deixado por 10 anos seu filho com a babá para poder viajar em casal e aí querer estabelecer uma amizade com ele…sinto dizer que será tarde demais…

Os filhos podem ser os melhores parceiros e amigos! Dá para sair, viajar, fazer várias coisas legais junto deles! Tenho um exemplo muito bacana: minhas filhas me treinam no ski! Como elas começaram esse esporte muito pequenas, encaram qualquer nível de dificuldade. E fazem questão de descerem comigo as pistas mais complicadas, me orientado e CUIDANDO para que eu não caia! Muito legal isso, né!

Por aqui, eu e o Fabio estabelecemos acordos quanto ao uso do celular ou ipad. Sem imposição, são acordos negociados. Existem horários para usar os aparelhos. As senhas são compartilhadas, para qualquer um analisar o que o outro faz a qualquer momento.

E lembre-se que humilhar seu filho por algo errado que ele tenha feito  pode acabar com o relacionamento de vocês.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estilo

Quem é que nunca ouviu dizer que o óleo de coco é maravilhoso para:

-a pele?

-clarear os dentes?

-prevenir alzheimer e doenças do coração?

-emagrecer?

Pois é…eu confesso que nunca acreditei nisso. Lá na minha época de estudante, no ensino fundamental mesmo, aprendi que o coco sempre foi rico em gorduras ruins. E que quem queria fazer dieta tinha que baní-lo do cardápio. E nunca achei um estudo que me convencesse do contrário.

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem) e a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) afirmaram que não existem evidências científicas que comprovem o efeito emagrecedor do óleo de coco.

Nessa semana passada, foi a vez da  Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) se posicionar contra a prescrição do óleo de coco para fins de emagrecimento.

E não é apenas a não eficácia no emagrecimento que foi comprovada.

Vou voltar nas etapas que citei no começo do texto, agora com a conclusão dos estudos feitos e divulgados:

  • óleo de coco para a pele: esse óleo não possui propriedades antivirais, antibacterianas ou antifúgicas. E ainda piora a pele acneica, quando usado.
  •  óleo de coco para clarear os dentes: funciona apenas como um sabão. Não existem evidências de clareamento. Nenhum dentista se pronunciou, para sabermos se o óleo ainda pode afetar o esmalte e proteção natural dos dentes.
  • óleo de coco para prevenir doença de alzheimer e doenças do coração : não há estudos SÉRIOS ( porque ” qualquer”estudo agente sempre acha…rs) que falem sobre isso.
  • e para emagrecer: não existe NENHUMA ligação de uma coisa com a outra. Alguém um dia disse isso e os outros acreditaram.

    “Hoje, não há suporte científico para dizer que ele traz qualquer benefício”, afirma Ana Lúcia dos Anjos, pesquisadora da faculdade de medicina da Unesp de Botucatu e médica nutróloga da Abran. E, de acordo com Maria Edna de Melo, presidente da Abeso, “o óleo de coco não passa de um modismo”                                                                                                                                                                                                                                                           O presidente da Sbem, Fábio Trujilho, disse que ainda não é possível avaliar se esse tipo de óleo pode fazer muito mal ao organismo humano. Mas que já é evidente QUE NÃO EXISTEM PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS. A presidente da Abeso, Maria Edna, aponta estudos feitos que mostram o aumento do colesterol “ruim” em pacientes que consomem o óleo de coco. E que, como o produto contém muita gordura saturada, coloca em risco a saúde cardiovascular das pessoas.

Trujilho ainda completa: ” de forma muito prática, é possível concluir que o óleo de coco serve…pra NADA.”

 

Fontes:

http://www1.folha.uol.com.br.

https://www.noticiasaominuto.com.br

Associação Brasileira de Nutrologia

Associação Brasileira de Endocrinologia e Metabologia