Indica

Alergia à proteína do leite: o que é

A APLV é uma reação alérgica às proteínas presentes no leite de vaca ou em seus derivados. Isso ocorre porque, assim que os bebês nascem, seu intestino ainda está imaturo e a ingestão dessas proteínas pode iniciar um processo de inflamação no aparelho digestivo. A alergia ao leite de vaca atinge cerca de 5% dos bebês e crianças com menos de 3 anos. Adultos raramente têm a doença.

O pediatra das minhas filhas, dr. Nelson Ezjembaum, foi muito rápido e preciso ao diagnosticar o problema na Mabê, minha filha mais nova. Ela teve um princípio de pneumonia aos 5 meses de vida e já apresentada quadros de alergias pelo corpo, além de diarréia.

Atenção! Somente o médico está capacitado para diagnosticar a alergia ao leite de vaca. Juntamente com ele, o nutricionista poderá prescrever a dieta correta para que o bebê não tenha problemas de desenvolvimento e crescimento por falta de nutrientes.

O organismo reage às proteínas do leite como se fosse uma substância estranha, causando sintomas de pele (vermelhidão, coceira, empipocamento), gástricos e intestinais (diarréia com sangue ou não, vômito, cólicas intensas), respiratórios (asma, rinite, chiado no peito) e até anafilaxia (coceira no corpo, fechamento da garganta e dificuldade de respirar). Qualquer quantidade desta proteína do leite é suficiente para desencadear os sintomas, portanto é necessário retirar da dieta o leite, seus derivados e todos os alimentos preparados com leite (bolos, tortas, biscoitos, etc).

Vou falar que é uma situação muito, muito triste, porque quase tudo é feito à base de leite de vaca. E criança é criança…como não dar um pedacinho de brigadeiro em uma festinha de aniversário?

O grau da alergia da Mabê era o mais grave. Atacava as vias respiratórias. Ele teve, até os 4 anos de vida, 4 princípios de pneumonia e 3 sinusutes ( mesmo sem ter os seios da face formados). Chegou a ir para o hospital por causa de um pão de queijo, que deixei comer depois de chorar de vontade.

Tirei tudo da dieta dela. E ela ainda tomava, receitado pelo dr. Nelson, o SINGULAIR, um antiasmático de administração oral, que usa como princípio ativo a substância de nome Montelucaste e pode ser encontrado em versão infantil. O Singulair reduz o broncoespasmo, o inchaço e a inflamação das vias respiratórias.

Com o crescimento, a criança pode adquirir imunidade e a alergia simplesmente desaparecer. FOI ISSO QUE ACONTECEU COM MINHA FILHA! E AGRADEÇO A DEUS TODOS OS DIAS!

O diagnóstico da alergia ao leite de vaca é feito por meio da observação dos sintomas. Alguns exames podem ajudar, porém, a única maneira de saber se a criança tem ou não alergia ao leite de vaca é fazer uma dieta de exclusão do leite de vaca e seus derivados por um período mínimo de 4 semanas.

MUITAS MAMÃES CONFUNDEM ALERGIA À PROTEÍNA DO LEITE E INTOLERÂNCIA À LACTOSE.

Na intolerância à lactose, há a falta ou diminuição na produção de lactase, enzima que digere a lactose (açúcar do leite). Ela é comum em pessoas com inflamação do intestino, após um quadro de diarréia forte, ou em pessoas que fizeram alguma cirurgia no trato digestório (esôfago, estômago e intestino) e em idosos.

Neste caso, os sintomas apresentados são apenas gastrintestinais como: diarréia, cólica, gazes e distensão abdominal. A pessoa jamais manifestará sintomas de pele, nem respiratórios, como ocorrem nos processos alérgicos, pois o sistema imunológico não é envolvido.

Junte-se à discussão

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *